O GPS E O BOMBRIL

Série: Matérias leves

Constelação de satélites

 

Você sabe qual a semelhança entre GPS, Bombril, Gillette e Xerox? Não? São todos nomes que viraram “Marcas sinônimo de referência”. É o que acontece quando um nome de uma marca torna-se tão forte na mente do consumidor que ele a confunde com a categoria do produto. Por exemplo: palha de aço é uma categoria de produto, mas é mais conhecida pelo nome de uma marca, Bombril. Outro exemplo é o do Aparelho de barbear que apesar de existirem diversos à venda é mais conhecido pelo consumidor como Gillette. E por aí vai…
O caso do GPS é um pouco parecido. O (Global Positioning System) estadunidense, na verdade foi o primeiro sistema do mundo a fazer Navegação Geo-referenciado. Ou seja, ele permite localizar, com apenas alguns metros de erro (CEP) um determinado ponto do globo. Para que funcione é necessário que seja posto em órbita da Terra uma constelação de Satélites Geo-Estacionários (entre 24 e 48) e diversas outros estação receptoras em terra. Apesar do nome, esses satélites não ficam parados, mas acompanham a rotação do nosso planeta.
Outro fato interessante é que apesar de usarmos o sistema com facilidade em celulares, por exemplo, ele não é particular, mas foi criado e administrado pelos militares e até hoje é assim. O motivo é que o primeiro uso desse tipo de navegação (e hoje ainda é o principal) foi o de guiar mísseis balísticos intercontinentais (ICBM) contra silos lançadores de mísseis de países inimigos (Rússia). Isso é levado tão à sério, que em caso de guerra, o sistema pode simplesmente ser derrubado pelos EUA ou ter sua precisão alterada de metros para quilômetros, já que o sistema também ajuda a guiar os mísseis inimigos.)

Uma bomba do tipo MK-82 (vermelha e branca) com Guiamento GPS/INS Acauan da brasileira MECTRON em uma aeronave AF-1 da Marinha do Brasil

Para se contrapor a essa hegemonia dos EUA outros países também resolveram investir pesado na criação de seus próprios sistemas de Navegação. Dentre os que estão mais avançados, está a Rússia que lançou essa semana mais um satélite do seu sistema batizado de GLONASS. Já a China, que é candidata a ser mais nova superpotência militar, deseja atingir a operacionalidade com o Beidou. A União Europeia também desenvolve o seu, mas pelo menos por enquanto, querendo falar de sistemas de Navegação Geo-referenciada o nome que virá a mente ainda será o do GPS!

Graan Barros
Facebook Comments


Compartilhe

2 Resultados

  1. Graan Barros disse:

    Obrigado pelo comentário, Andreas Di Capri!

  2. Um outro exemplo muito conhecido é a marca "MAIZENA" que costuma ser usado para se referir ao produto "AMIDO DE MILHO". Isso acontece, acredito eu, devido a um marketing de divulgação muito poderoso. Outro ponto importante nesse artigo é o benefício advindo da "corrida armamentista" que parece nunca ter fim.

Close