google.com, pub-9763613062442243, DIRECT, f08c47fec0942fa0

SUBMARINO TAPAJÓ RETORNA AO BRASIL APÓS COMISSÃO DE SETE MESES

Submarino Tapajós sendo recepcionado na Base de Submarinos na Ilha de Mocanguê
Foto: Alexandre Tortoriello (BAND)

 

Após sete meses em comissão, na Costa Leste dos Estados Unidos da América (EUA), onde participou de operação militar conjunta com a marinha norte-americana, a VI Deployment 2013, o Submarino “Tapajó” (S-33) foi recepcionado com honras de passagem, na manhã do dia 18 de setembro, pelos Submarinos “Timbira” e “Tikuna” e um helicóptero HI-6B “Bell Jet Ranger III”. O evento ocorreu nas proximidades da Ilha Rasa, ao largo da Praia de Copacabana.
 
Os submarinos, então, demandaram em formatura a entrada da Baía de Guanabara, atracando, na Base de Submarinos, em Niterói. A operação foi acompanhada de perto pelo helicóptero da Marinha e por jornalistas dos principais veículos de comunicação, a bordo do Aviso de Instrução “ALMIRANTE JÚLIO HESS”.
Submarinos S-34 Tikuna, S-33 Tapajó e S-32 Timbira navegando em formação.
Após a atracação, o Comandante do Submarino “Tapajó”, Capitão-de-Fragata Horácio Cartier, recebeu os cumprimentos do Comandante-em-Chefe da Esquadra, Vice-Almirante Sergio Roberto Fernandes dos Santos, que entregou ao navio uma placa em reconhecimento à missão bem cumprida. Em seguida, a tripulação foi recepcionada com emoção por seus familiares.
Familiares recepcionam os submarinistas.
Em sua primeira participação na Comissão “Deployment”, que envolveu o emprego de meios navais e aeronavais da marinha norte-americana,o “Tapajó” realizou 135 dias de mar e concluiu com êxito uma gama de exercícios de variados níveis de complexidade. Adestramentos que contribuíram significativamente para elevar o grau de aprestamento da tripulação. Destacam-se o lançamento instrumentado de dois torpedos MK 48, na raia da Atlantic Undersea Test and Evaluation Center, nas Bahamas, para cumprir uma das etapas do processo de conclusão da modernização do novo sistema de combate integrado do navio (um conjunto de equipamentos que integra a direção de tiro com os sensores de bordo e seus periféricos de auxílio à navegação, permitindo uma acurada compilação do quadro tático) e os adestramentos de guerra antissubmarina, quando o S-33 compôs, juntamente com o Submarino USS “ALBANY” (Classe Los Angeles) um grupo de batalha nucleado no Porta-Aviões USS “HARRY S. TRUMAN” (Classe Nimitz).
 
FONTE: Nomar
 
MAIS:
Veja essa notícia em outras mídias:
 
Pela BAND:
Facebook Comments


Compartilhe

1 Resultado

  1. Anônimo disse:

    Para quem só gosta de criticar, está aí a resposta.

Close