DESTROYER DOS EUA NAVEGA NO DISPUTADO MAR DA CHINA MERIDIONAL

  • 100707-N-3215T-028 YOKOSUKA, Japan (July 7, 2010) 1st Class Brock A. Taylor/Released)

Uma embarcação da Marinha dos EUA, o McCampbell, da USS, passou por ilhotas disputadas no Mar da China Meridional em uma operação de nomeada de “liberdade de navegação”. Em resposta, Pequim enviou navios militares e aeronaves para interceptá-lo, condenando a “provocação”.

O destróier de mísseis guiados navegou a 12 milhas náuticas do arquipélago das Ilhas Paracel, informou a frota do Pacífico dos EUA na segunda-feira. A operação foi realizada para “desafiar reivindicações marítimas excessivas”, segundo a porta-voz da frota, Rachel McMarr.

A viagem do US McCampbell desencadeou uma reação irada de Pequim. O Ministério das Relações Exteriores da China acusou os EUA de entrar nas águas das Ilhas Paracel sem permissão, acrescentando que havia apresentado “severas representações” com Washington.



“Pedimos aos Estados Unidos que parem imediatamente com esse tipo de provocação”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Lu Kang, acrescentando que a China enviou navios e aeronaves militares para identificar e alertar o navio.

As águas agitadas do Mar do Sul da China são disputadas por várias nações da região, a saber, Vietnã, Filipinas, Brunei, Malásia, Indonésia, China e Taiwan – que Pequim considera parte integrante do continente.

A China reivindica soberania sobre quase todas as águas, que são frequentemente visitadas por navios militares dos EUA. Washington insiste que tem exercido seu direito de “liberdade de navegação” .

O incidente coincidiu com o início das negociações de alto nível sobre comércio entre os EUA e a China, que começaram na segunda-feira em Pequim. As negociações, lideradas pelos vice-ministros de Comércio dos dois países, devem durar dois dias.

As negociações se tornaram o primeiro contato oficial sobre a rivalidade comercial desde o início de dezembro, quando o presidente dos EUA, Donald Trump, e seu colega chinês, Xi Jinping, concordaram em tentar resolver as diferenças durante a cúpula do G20 na Argentina. Naquela época, os dois líderes anunciaram uma trégua de 90 dias sobre novas tarifas, que deve expirar em 1º de março. A guerra comercial entre Washington e Pequim já dura quase um ano, com os dois países batendo as tarifas em US $ 300. bilhão de valor dos bens uns dos outros.

Fonte: RT

Facebook Comments


Compartilhe