REBOCADOR DE ALTO-MAR R-22 “TRIDENTE” DEU BAIXA DO SERVIÇO ATIVO

  • Rebocador tridente
  • Rebocador de Alto-Mar R-23 “Tridente”
    Rebocador de Alto-Mar R-23 “Tridente”

A Marinha do Brasil resolveu dar baixa do serviço da ativa o Rebocador de Alto-Mar R-22 “Tridente”, conforme a Portaria nº 184/MB, de 22 de junho de 2018. O casco será será alienado.

Rebocador de Alto-Mar R-23 “Tridente”

Segundo o site: Navios de Guerra Brasileiros, o R-22 Tridente” é o segundo navio da Marinha do Brasil a ostentar esse nome em homenagem ao cetro de três farpas de Netuno. O Tridente foi construído pelo ESTANAVE – Estaleiro da Amazônia S/A, em Manaus, onde teve sua quilha batida em 21 de dezembro de 1976 e foi lançado ao mar em 7 de julho de 1977. A sua incorporação ao serviço da Marinha do Brasil se deu no dia 8 de julho de 1987, atuando no 1º Distrito Naval no Rio de Janeiro.

Nesta quinta, dia 5 em passagem pelo caminho Luiz Paulo Conde fotografamos e filmamos o navio que estava atracado já sem o seu indicativo visual no costado e sem as bandeiras do Brasil e do Cruzeiro que foram arriadas no último “Cerimonial a bandeira”.



O lema do navio era: “Onde você estiver” 

O substituto

Em abril, a Marinha do Brasil adquiriu três navios de apoio marítimo offshore do tipo Anchor Handling Tug Supply (AHTS) da empresa norueguesa Deep Sea Supply. Os navios foram construídos na Índia entre 2010 e 2011 e atualmente estão sendo convertidos em Navios de Apoio Oceânico (NApOC) para substituir os rebocadores de alto-mar que estão no final do seu ciclo de vida operacional. Entre eles está o futuro NApOc G-152 Purus que substituirá o R-22 “Tridente”.

Por Graan barros

Facebook Comments


Compartilhe