SAIBA MAIS SOBRE A AVIAÇÃO DE RECONHECIMENTO

  • 24 de junho - dia da aviação de reconhecimento
Conheça parte do trabalho dos esquadrões de Reconhecimento da FAB

Aeronaves E-99 e R-99 são operadas pelo Esquadrão Guardião

A Aviação de Reconhecimento atua em diversos tipos de missões, desde busca e salvamento no caso de acidentes aéreos até proteção ao meio ambiente. Já em um ambiente de guerra, é essencial na coleta de dados específicos sobre forças inimigas e áreas sensíveis para suprir os comandantes de informações.

Para manter a operacionalidade, os esquadrões de Reconhecimento da Força Aérea Brasileira (FAB) passam por treinamentos constantes, a exemplo da participação no Exercício Operacional Tápio, realizado em maio, em Campo Grande (MS). A Aviação de Reconhecimento esteve representada no exercício pelas aeronaves A-1, do Esquadrão Poker (1º/10º GAV).



Esquadrão Poker opera aeronaves A-1

No exercício, os militares executaram, pela primeira vez, uma tática de reconhecimento, em coordenação com a força-tarefa CSAR (resgate em combate). Os caças decolavam antes para localizar e identificar o evasor – ou seja, o militar que precisa ser resgatado – e passavam as informações para os aviões A-29 Super Tucano, que fizeram a escolta da força-tarefa.

“O A-1 possui sensores com capacidades que permitem ao piloto identificar algo que esteja em solo, mesmo voando em grande altitude, e assim não corre o risco de ser atingido pela defesa antiaérea”, explica o Major Aviador Murilo Salvatti, Comandante do Esquadrão Poker.

Aviões R-35 são utilizados pelo Esquadrão Carcará

Ele, que foi o primeiro Mission Commander – piloto experiente com formação específica responsável por coordenar as chamadas “missões de pacote” – da Tápio, afirma que, dessa forma, a força-tarefa CSAR já tinha todas as coordenadas para o resgate do evasor quando decolava. “Em sede, não é comum podermos treinar junto com a força-tarefa CSAR, como ocorreu na Tápio, então aproveitamos a oportunidade”, afirma o Major, a respeito da integração entre as diferentes aviações possibilitada no exercício.

Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Gabriélli Dala Vechia
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Emília Maria – Revisão: Cap Oliveira

Fotos: Cap Enilton/CECOMSAER

Confira o vídeo:

Facebook Comments


Compartilhe