ESTADOS UNIDOS CONGELAM FINANCIAMENTO DOS CAPACETES BRANCOS NA SÍRIA

  • capacetes brancos netflix

O Departamento de Estado dos EUA congelou o financiamento dos Capacetes Brancos, que trabalhavam na Síria, devastada pela guerra, informou o canal de TV americano CBS em 3 de maio.

Segundo a CBS, o governo dos EUA foi responsável por cerca de um terço do financiamento total dos Capacetes Brancos. A CBS salientou que “o Departamento de Estado dos EUA disse que o apoio está ‘sob revisão ativa'”, acrescentando que a organização não recebia fundos financeiros de Washington há várias semanas.

O líder dos Capacetes Brancos, Raed Saleh, afirmou que não havia sinais de parar o financiamento há dois meses durante a visita dos membros da organização aos EUA, informou a CBS.



“Nossas reuniões em março foram muito positivas. Houve até mesmo comentários de altos funcionários sobre compromissos de longo prazo até 2020, ”disse Saleh.

“Não houve sugestões sobre parar o suporte.”

“Em última análise, isso terá um impacto negativo na capacidade dos trabalhadores humanitários de salvar vidas”, afirmou o funcionário da White Helmets, citado pela CBS.

A CBS informou que o documento interno do Departamento de Estado havia dito que seu Escritório do Oriente Médio precisaria da confirmação da administração para dar  luz verde para financiamento dos Capacetes Brancos na Síria até 15 de abril ou que o departamento iniciasse “procedimentos de paralisação em uma base contínua”. A CBS declarou que havia perguntado quais programas ainda estavam recebendo financiamento e a data de seu congelamento, mas o Departamento de Estado dos EUA não respondeu.

O fato sobre o congelamento dos Capacetes Brancos parece ser interessante, já que esta organização foi uma das primeiras a fazer alegações de que houve um ataque com armas químicas realizado pelo governo sírio em Douma em 7 de abril. A Rússia descartou isso como uma notícia falsa. Em 9 de abril, o Centro Russo para a Reconciliação dos Lados Combatentes examinou Douma e não encontrou vestígios de armas químicas.

A Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) visitou dois locais em Douma em 21  e  25 de abril,   coletando amostras lá. Os resultados ainda não foram fornecidos.

 

Os Capacetes Brancos, formalmente conhecidos como a Defesa Civil Síria, é um grupo que declara possuir 3.000 voluntários de resgate e afirma que salvou milhares de vidas desde o início da guerra civil na Síria. A alegação de que os Capacetes Brancos são apenas uma entidade neutra na Síria levanta dúvidas até mesmo na sociedade dos EUA.

A redução do financiamento dos Capacetes Brancos indica que o governo dos EUA entende que a organização está perdendo sua credibilidade entre o público internacional. Também é possível que os EUA decidissem punir os Capacetes Brancos, reduzindo o financiamento da organização após o suposto “ataque químico em Douma”.

Por exemplo, em 26 de abril, a delegação de Moscou à OPAQ e as testemunhas do suposto ataque químico em Douma realizaram uma coletiva de imprensa em Haia para desmascarar as acusações contra o governo sírio, Hassan Diab, um menino sírio filmado pelos Capacetes Brancos para seu vídeo de ataque químico Douma também estava lá. O menino e sua família revelaram a ausência do ataque e que eles haviam encenado no vídeo falso. A imagem de Washington, mais uma vez, acabou sendo prejudicada, pelo menos na mídia.

Mais uma razão para as mudanças no financiamento é a redução do território sob o controle dos militantes na Síria. As forças anti-governamentais perdem as vantagens militares e políticas enquanto as tropas governamentais sírias obtêm mais sucesso na guerra. Assim, a atividade dos Capacetes Brancos poderá se tornar quase inútil na região.

Quanto à questão do financiamento dos Capacetes Brancos, no dia 3 de maio, o jornalista norte-americano Benjamin Swann detalhou o histórico dos Capacetes Brancos no programa Reality Check:

“Siga o dinheiro e você encontrará numerosos laços com o financiamento do governo não apenas dos EUA, mas também do Reino Unido, Holanda, Dinamarca e Alemanha”.

De acordo com o relatório de Swann, os Capacetes Brancos foram formados no “final de 2012 – início de 2013” ​​como grupos auto-organizados. Como eles precisavam de treinamento, um ex-oficial do exército britânico chamado James Le Mesurier desenvolveu um programa para os sírios que incluía cursos de tratamento de trauma, comando e controle e gerenciamento de crises. Ele conseguiu financiar esse programa de treinamento através do Mayday Rescue, sua organização sem fins lucrativos sediada na Holanda e financiada por doações dos governos holandês, britânico, dinamarquês e alemão.

Em dezembro de 2013, foi estabelecida a máquina de relações públicas do Reino Unido que apoiava os Capacetes Brancos. Foi chamada de Projeto Voices, criado como uma empresa privada para as atividades de relações públicas e comunicações. O primeiro diretor listado nos artigos de incorporação foi Jeremy Heimans, o co-fundador e diretor executivo da plataforma de relações públicas global “Purpose” e co-fundador da polêmica rede de ativistas online “Avaaz”.

Em março de 2014, o Projeto Voices criou a organização não-governamental Campanha da Síria (ONG) como “uma organização de direitos humanos que apóia os heróis da Síria em sua luta pela liberdade e democracia”.

Em outubro de 2014, uma conferência dessas equipes reuniu-se para estabelecer a Defesa Civil Síria como uma organização nacional oficial. Eles então ficaram conhecidos como os Capacetes Brancos.

As notícias duvidosas fabricadas pelos Capacetes Brancos levantam questões na comunidade dos EUA e até mesmo no governo dos EUA. Como mais fracassos podem ser esperados nas atividades dos Capacetes Brancos, deixa claro as as medidas atuais do governo americano.

Fonte: South Front

Facebook Comments


Compartilhe