ALA 12 REALIZA CERIMÔNIA EM HOMENAGEM AOS PILOTOS DA FAB MORTOS NA SEGUNDA GUERRA

  • dia da aviação de caça1
Ala 12, no Rio de Janeiro (RJ), é sede do Primeiro Grupo de Aviação de Caça, criado durante o cenário de conflito. 

Ala 12 sedia cerimônia de homenagem aos pilotos da FAB falecidos em combate

A Ala 12, em Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro (RJ), realizou sua tradicional cerimônia em homenagem aos pilotos brasileiros mortos em combate durante a Segunda Guerra Mundial na manhã desta sexta-feira (20/04).

O evento, chamado de Preito aos Jambocks – como eram denominados os combatentes – reuniu diversas autoridades e pilotos de caça, além de um veterano, o Major João Rodrigues. Como mecânico do P-47 Thunderbolt, lutou na Segunda Guerra durante um ano e meio. Ele avalia que a Força Aérea Brasileira se consolidou e se fortaleceu durante o conflito. “Perdemos muitos companheiros, mas não foi em vão”, disse.



Veterano de guerra, Major João Rodrigues, no Preito aos Jambocks

Durante a cerimônia, foi acesa uma chama representando o espírito dos combatentes; o monumento de homenagem aos mortos recebeu uma coroa de flores e houve o hasteamento da flâmula do esquadrão – a mesma que era hasteada no campo de batalha. O nome de cada um dos pilotos falecidos também foi relembrado, seguido de uma salva de tiros. “A Força Aérea Brasileira tinha sido criada apenas quatro anos antes da nossa participação na guerra. Então era uma Força extremamente jovem. Foram oficiais e graduados, comandados por Nero Moura, que se tornaram heróis e não podemos esquecê-los. São modelos para nós”, diz o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato.

Desfile militar reuniu pilotos de caça de ontem e de hoje

Embora as comemorações sejam realizadas nos esquadrões de caça de todo o País, a cerimônia da Ala 12 se destaca por ser a sede do Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1º GAVCA) – esquadrão criado e treinado para combater na guerra. “Desde a formação do piloto de caça, procuramos incentivar características intrínsecas, como o profissionalismo, o culto às tradições e o espírito aguerrido. Aqui em Santa Cruz, onde foi o berço da Aviação de Caça, estamos comemorando o dia 22 de abril de 1945 – data em que mais tivemos sortidas na Segunda Guerra”, explica o Comandante do 1º GAVCA, Tenente-Coronel Marco Aurélio Soares Garcia.

Formatura e entrega de medalhas

Após o Preito aos Jambocks, aconteceu a formatura militar alusiva ao Dia da Aviação de Caça, com imposição da medalha Mérito Operacional Nero Moura e da Medalha Eduardo Gomes – esta última, entregue pela primeira vez. O objetivo da nova condecoração é premiar a dedicação aos estudos, destacando os primeiros colocados dos cursos de carreira da Força Aérea.

Tenentes-Brigadeiros Baptista e Baptista Junior receberam Medalha Eduardo Gomes

No ato, entre os oito condecorados com a Medalha Eduardo Gomes, estiveram, lado a lado, o ex- Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista, e o Chefe de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior – pai e filho. Ambos foram primeiros colocados no Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais – um no ano de 1965, o outro em 1991.“As coincidências nas nossas carreiras não param por aí. Ambos estávamos servindo no Grupo de Caça [1º GAVCA] quando fizemos os cursos em que fomos primeiros colocados”, disse o Tenente-Brigadeiro Baptista. Já o Tenente-Brigadeiro Baptista Junior relembra as dificuldades e a dedicação aos estudos. “Foi muita leitura de apostila na Avenida Brasil”, afirmou o oficial-general, fazendo menção ao deslocamento entre as Organizações Militares onde servia e onde realizou o curso, ambas na cidade do Rio de Janeiro.

 

Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Gabrielli
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Gabrielli – Revisão: Cap Oliveira

Assista ao vídeo com mais detalhes das cerimônias.

Facebook Comments


Compartilhe