F-35B POUSA NO USS WASP AUMENTANDO AS CAPACIDADES DOS EUA NA REGIÃO INDO-PACÍFICO

  • Historic First: F-35B deploys with Amphibious Assault Ship
    180305-N-VK310-0070 EAST CHINA SEA (Mar. 5, 2018) An F-35B Lightning II with Marine Fighter Attack Squadron (VMFA) 121 touches down on the amphibious assault ship USS Wasp (LHD 1), marking the first time the aircraft has deployed aboard a U.S. Navy ship and with a Marine Expeditionary Unit in the Indo-Asian-Pacific region. VFMFA-121, assigned under the Okinawa-based 31st Marine Expeditionary Unit, will remain embarked aboard Wasp for a regional patrol meant to strengthen regional alliances, provide rapid-response capability, and advance the Up-Gunned ESG concept. (U.S. Navy photo by Mass Communication Specialist 3rd Class Michael Molina/Released)

MAR DA CHINA ORIENTAL (NNS) – Um destacamento de F-35B Lightning II do Fighter Attack Squadron 121 (VMFA-121) Esquadrão de Ataque nº121 pousou a bordo do navio de assalto anfíbio USS Wasp (LHD 1) no dia 5 de março, marcando a primeira vez que a aeronave foi implantada a bordo de um navio da Marinha dos EUA e uma Unidade Expedicionária da Marinha na região “Indo-Pacífico”.

O F-35B, designado sob a 31ª Unidade Expedicionária Marinha, com base em Okinawa, fornecerá um conjunto robusto de recursos marítimos que irão melhorar as operações expedicionárias do Corpo de Fuzileiros da Marinha. A aeronave é igualmente capaz de realizar ataques de precisão em profundidade, apoiando os fuzileiros navais em terra ou fornecendo defesa aérea [estendida] para o Grupo de Ataque Expedicionário.

“A união do F-35B Lightning II com o Wasp representa um dos saltos mais significativos na capacidade de guerra do Corpo de Fuzileiros”, disse o vice-presidente Brad Cooper, comandante, Expeditionary Strike Group 7. “Esta 5ª geração de jatos furtivos é extremamente versátil e aumentará e ampliará nossas capacidades operacionais “.

Os pilotos do VMFA-121 estão programados para realizar uma série de voos de qualificação no “Wasp” durante vários dias. Após as qualificações, os F-35B e os 2.300 Fuzileiros que formam o 31º MEU irão embarcar a bordo de navios do Grupo de Forças Expedicionárias doWasp para operações de acompanhamento na região Indo-Pacífico como parte de uma patrulha de rotina para fortalecer alianças regionais – capacidade de resposta e o avançado conceito “Up-Gunned ESG”.

O “Up-gunned ESG” é um conceito iniciado pela frota do Pacífico dos EUA que visa proporcionar letalidade e capacidade de sobrevivência a um grupo tradicional de três navios anfíbios, integrando combatentes de superfície multimissão e F-35B em operações anfíbias. Ao adicionar essas capacidades, a força anfíbia pode se defender de forma mais eficaz contra ameaças nos domínios submarino, superfície e aéreo, além de fornecer poder de fogo ofensivo.

O 31º Marine Expeditionary Unit (MEU) é o único implantado na região. O F-35B serve como uma célula dentro de uma quantidade de capacidades de um elemento aéreo de combate do MEU. As forças aéreas, terrestres e logísticas compõem a Força-Tarefa Marinha do MEU (MAGTF), um conjunto de capacidades que permitem, em parceria com os navios anfíbios da Marinha, realizar uma ampla gama de missões que vão da resposta a crises ao auxílio a desastres.

“Esta é uma implantação histórica”, disse o coronel Tye R. Wallace, 31º comandante do MEU. “O F-35B é a aeronave com maior capacidade para apoiar um fuzileiro naval em solo. Ela traz uma série de novas capacidades para o MEU que nos tornam uma Força-Tarefa mais letal e efetiva”.

A chegada do F-35B culmina com as modificações estruturais a bordo da Wasp que começaram em 2013. Wasp completou uma revisão em 2017 e, posteriormente, partiu para Norfolk para encaminhar-se para Sasebo, no Japão, como parte de um esforço do Departamento de Defesa para implantar capacidades mais avançadas na região Indo-Pacífico.

“A implantação do versátil F-35B melhora a gama de recursos do Grupo Expedicionário de Ataque com uma das plataformas de guerra aérea mais avançadas tecnologicamente do mundo”, disse o capitão Colby Howard, comandante do Wasp. “Com as atualizações específicas que a Wasp recebeu, a equipe da Marine Marine Corps no Pacífico está melhor posicionada do que nunca para apoiar nosso compromisso de segurança do Japão e da Região”.

O Wasp ESG está em patrulha de rotina na região “Indo-Pacífico”, proporcionando à 7º Frotauma capacidade de resposta rápida em caso de contingência e trabalhando com parceiros e aliados para aumentar a capacidade combinada de segurança regional.

A Sétima Frota, que celebra o seu 75º ano em 2018, abrange mais de 124 milhões de quilômetros quadrados – que se estende desde a o meridiano de Greenwich até a fronteira Índia / Paquistão e das Ilhas Kuril no Norte até a Antártica no Sul.

A área de operação da Sétima Zona da frota engloba 36 países marítimos e 50% da população mundial e é composta por 50 a 70 navios e submarinos dos EUA, 140 aeronaves e aproximadamente 20 mil marinheiros.

Fonte: Marinha dos EUA

Facebook Comments
Compartilhe