TRECHOS DA ENTREVISTA DO CEO DA “ROSTEC” (RÚSSIA) AO “THE WASHINGTON POST”

  • sanções americanas contra a rússia foto de Pyatakov

O CEO da Rostec State Corporation,  Sergey Chemezov deu uma entrevista ao jornal americano “The Washington Post”.  Abaixo, estão os trechos considerados mais relevantes pela empresa russa com algum conteúdo do blog que permitem um melhor entendimento.

Sobre as despesas militares russas

Não acho que os gastos em defesa cresceram. Não creio que haja algum crescimento, na verdade. Mas hoje, produzimos produtos de alta tecnologia mais sofisticados, que estão em demanda não apenas na Rússia, mas também no exterior. E temos muitos exemplos: produtos e equipamentos médicos bastante competitivos sendo vendidos para países europeus e, claro, para a Ásia.



 

Sobre as sanções dos EUA

 

 

Devo dizer que somos industriais e não políticos. Do ponto de vista dos negócios, este é um exemplo simples de concorrência sem escrúpulos. Estamos fabricando de uma maneira que é melhor em termos de características técnicas e mais acessíveis do que análogos europeus ou americanos.

Sobre as relações entre a Rússia e EUA

Penso que quanto mais cedo estabelecermos relações normais entre a Rússia e a América, melhor será para o mundo. Esperávamos que as relações normais fossem restabelecidas, como na administração George W. Bush. Esse foi um período de renascimento nas nossas relações. Muitas joint ventures foram criadas e houve muito contato.

 

Sobre a cooperação internacional com as empresas dos EUA

 

Em primeiro lugar, teríamos continuado a desenvolver nossas relações com a Boeing. Estávamos planejando criar uma joint venture para manutenção e vender aviões não só para Rússia, mas também para a Ásia e África. Mas agora uma das nossas empresas, que deveria fazer um negócio de leasing com a Boeing, entre outros, está tendo problemas para atrair financiamento. Tivemos grandes planos, infelizmente.

Atualmente, o maior fornecedor de titânio para a boeing e a indústria aerospacial americana em geral é russa VSMPO-AVISMA.

Sobre S-400
 
 

Muitos países gostariam de comprar esses sistemas e temos muitos pedidos. Não estou dizendo que não competimos com os americanos – é claro que sim. Mas de acordo com minhas informações, nosso sistema é melhor.

Sim, assinamos um contrato com a Turquia. Já iniciamos a produção e devemos começar as entregas em 2019. E com a Arábia Saudita, estamos no processo de negociações – ainda não há uma decisão final.

Sobre o novo tratado START

 

Os Estados Unidos estão adotando um novo programa. Isso não levará a uma melhoria na situação no mundo. Isso levará a outra corrida de armamentos, porque teremos que fazer o mesmo que os americanos.

Obs.: O START ( Tratado de Redução Estratégica de Armas ) foi um tratado bilateral entre os Estados Unidos da América e a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) sobre a redução e limitação de armas estratégicas ofensivas. O tratado foi assinado em 31 de julho de 1991 e entrou em vigor em 5 de dezembro de 1994.[1]

Fonte:

TWP: https: //www.washingtonpost.com/news/worldviews/wp/2018/02/10/qa-sanctioned-putin-ally-holds-out-hope-that-trump-will-boost-russia-ties/ ? utm_term = .707c10da841e

[a] Wikipedia

Facebook Comments


Compartilhe