CORPO DE FUZILEIROS NAVAIS RECEBE NOVO MODELO DE CARROS LAGARTA ANFÍBIOS

  • clanf1_0
  • clanf2

O Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) recebeu os dois primeiros Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) do padrão Reliability, Availability, Maintainability/Rebuild to Standard(RAM/RS). Os carros, sendo um na configuração Transporte de Pessoal (P) e outro na versão Comando e Controle (C), desembarcaram na madrugada de 31 de maio no Porto de Santos e seguiram para o Centro Tecnológico do Corpo de Fuzileiros Navais.

Essa aquisição foi fruto de um contrato assinado entre a Marinha do Brasil (MB) e a Marinha dos EUA para o fornecimento de um total de 23 CLAnf. Após a chegada do lote final, prevista para ocorrer em 2018, a Força de Fuzileiros da Esquadra terá em seu acervo operacional 49 unidades de CLAnf, liderando o quantitativo no Hemisfério Sul, auferindo melhores condições de contribuir para a defesa da Amazônia Azul.

De acordo com o Comandante do Material de Fuzileiros Navais, Contra-Almirante (FN) Renato Rangel Ferreira, os veículos do padrão RAM/RS trarão maisconfiabilidade, disponibilidade e melhor logística de manutenção, proporcionando ao CFN e à MB um considerável incremento na sua anfibiosidade.



– O CLAnf padrão RAM/RS supera, em todos os aspectos, as gerações anteriores,possui motor mais potente, nova transmissão e sistema de suspensão atualizado,oferecendo melhor mobilidade, maior velocidade, facilidade de operação e condições de conforto e segurança à tropa embarcada -, avaliou o Almirante.

clanf2

O êxito alcançado em todo o processo, desde a assinatura do contrato até a chegada ao Brasil deste primeiro lote, foi obtido, em primeiro lugar, por meio do apoio irrestrito do Almirantado. O profissionalismo e a coordenação entre o Comando-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais, que preza pela continuidade de todo trabalho que realiza, a Adidância Naval nos EUA e no Canadá, o Comando do Material de Fuzileiros Navais, a Comissão Naval Brasileira em Washington e a Diretoria de Abastecimento da Marinha, por meio do Centro de Distribuição e Operações Aduaneiras da Marinha, também foram fundamentais para a concretização deste projeto.

Fonte: Corpo de Fuzileiros Navais

Facebook Comments


Compartilhe