REINO UNIDO TENTOU ESCONDER FALHA NO LANÇAMENTO DO MÍSSIL “TRIDENT”

  • Lançamento do Trident CORBIS - GETTY

Uma falha grave no sistema de dissuasão nuclear da Grã-Bretanha foi encoberta pelo Downing Street (residência oficial do Primeiro Ministro do Reino Unido) poucas semanas antes da crucial votação da Câmara dos Comuns sobre o futuro do sistema de mísseis.

O Sunday Times revelou que um Míssil Balístico Intercontinental do tipo, “Trident II D5” – que pode matar milhões quando armado com ogivas nucleares – experimentou uma falha alarmante depois de ser lançado de um submarino britânico ao largo da costa da Flórida em junho do ano passado.

Foi o único teste de disparo de um míssil nuclear britânico em quatro anos e levanta sérias questões sobre a confiabilidade e segurança do sistema de armas. A falha provocou um apagão de notícias pelo Downing Street que não se manifestou até este fim de semana.

A tentativa de esconder o erro foi descrito como “bizarro e estúpido” pelo Almirante Lord West. Ele afirmou à BBC: “Se um tiro estiver errado, você deve dizer que ele deu errado, a menos que haja algo que significa que é tão fundamentalmente errado que isso significa que todo o sistema não é mais viável. Caso contrário, estamos nos parecendo um pouco como a União Soviética costumava ser, ou como a Coréia do Norte ou China, onde eles não não admitem que há problemas.

A causa da falha permanece em segredo, mas uma alta fonte naval disse a este jornal que o míssil – que estava desarmado para o teste – pode ter se desviado na direção errada, se dirigindo para a América, depois de ter sido lançado do HMS Vengeance.

A fonte também informou que: “Houve um grande pânico no mais alto nível do governo e das forças armadas após o primeiro teste de nossa dissuasão nuclear em quatro anos ter terminado em fracasso desastroso. Em última análise o Downing Street decidiu encobrir que o teste falhou. Se a informação fosse tornada pública, eles sabiam o quão prejudicial seria para a credibilidade da nossa dissuasão nuclear.

O incidente aconteceu pouco antes de Theresa May se tornar primeira-ministra, mas ela omitiu qualquer menção ao teste falhado quando ela persuadiu o parlamento a gastar 40 bilhões de libras em novos submarinos Trident em seu primeiro grande discurso em 18 de julho.

Em uma entrevista esta manhã, May se recusou a dizer se ela sabia que o teste falhou quando ela falou a Câmara. “Há testes que ocorrem o tempo todo, regularmente, com os nossos sistemas de dissuasão nucleares. O que estávamos falando no debate era sobre o futuro “, disse ela ao The Andrew Marr Show na BBC One. Ela professava “fé absoluta” no Trident.

As revelações são susceptíveis de causar uma tempestade política. Os deputados e o público vão querer saber por que informações tão importantes sobre a eficácia do único impedimento nuclear britânico foram suspensas antes do debate crucial sobre o futuro do sistema de armas Trident.

Espera-se que Michael Fallon, secretário de defesa, seja chamado para o Commons (Câmara dos Comuns) para responder a perguntas dos deputados sobre o teste. Kevan Jones, deputado trabalhista e ex-ministro da Defesa, pediu ontem um inquérito sobre o teste de mísseis falhado. “A dissuasão nuclear independente do Reino Unido é uma pedra angular vital para a defesa do país”, disse ele.

Houve um grande pânico no mais alto nível do governo e das forças armadas após o primeiro teste de nossa dissuasão nuclear em quatro anos terminou em fracasso desastroso.
“Se houver problemas, eles não deveriam ter sido encobertos desta forma feroz. Os ministros devem ser honestos se houver problemas e deve haver um inquérito urgente sobre o que aconteceu. “, afirmou uma fonte militar.

Nicola Sturgeon, o primeiro ministro escocês, pediu a divulgação completa do que aconteceu, enquanto Jeremy Corbyn, líder trabalhista e veterano anti-nuclear, disse que o erro apresentou uma oportunidade para discutir o desarmamento com os estados nucleares.

Os mísseis Trident foram testados apenas cinco vezes por submarinos do Reino Unido neste século, em um custou de £ 17 milhões. Os testes anteriores – em 2000, 2005, 2009 e 2012 – foram amplamente divulgados pelo Ministério da Defesa e pela Lockheed Martin, a fabricante americana de armas, como demonstrações ao mundo da confiabilidade do Trident.

O teste de 2012 foi assistido por VIPs e um filme do lançamento dentro e fora do submarino foi lançado na internet. Mas o teste falhado de Vengeance em junho passado foi seguido por um silêncio de notícias completo pelo governo britânico e fabricante do míssil.

Em dezembro de 2015, Vengeance voltou ao mar pela primeira vez em quatro anos, após uma extensa reforma, incluindo a instalação de um novo sistema de lançamento de mísseis. Ele realizou meses de testes que culminaram no disparo de um míssil Trident.

A fonte tinha dito a este jornal que o teste ocorreu no fim de junho – sobre a hora da votação de Brexit em 23 de junho. Três dias mais cedo um aviso foi emitido aos pilotos para evitar “áreas de perigo” sobre o Atlântico devido a “um Lançamento do míssil”.

Parece que o míssil do Vengeance foi programado para ser disparado contra um alvo no mar na costa ocidental da África a 5,600 milhas. Mas a fonte disse que o míssil sofreu um mau funcionamento durante o vôo depois de sair da água. A fonte acredita que isso levou a se desviar do alvo.

Michael Elleman, um engenheiro que ajudou a desenvolver Trident, informou: “que se fosse um lançamento real as consequências poderiam ter sido sérias”.

Uma declaração do Ministério da Defesa confirmou ontem que um novo teste de mísseis ocorrera em junho, mas se recusou a comentar o porquê de não ter informado se houve uma ameaça à segurança.
Afirmou que o submarino era “testado e aprovado” e que tinha confiança absoluta no sistemas de dissuasão nuclear do Reino Unido.

Michael Clarke, ex-diretor-geral do Royal United Services Institut, disse: “Problemas de confiabilidade tendem a se tornar cumulativos. A infraestrutura de todo o sistema precisa investimentos urgentemente. “

Texto reduzido e adaptado

Fonte: Sunday Times

Facebook Comments
Compartilhe