OPERADORES DE CAÇAS GRIPEN REALIZAM TREINAMENTO NA REPÚBLICA TCHECA

A aeronave já é utilizada por cinco países de três continentes. Brasil terá versão ainda mais avançada
 
 
As Forças Aéreas da Suécia, República Tcheca, Hungria e Tailândia iniciaram segunda-feira (11/05) o Exercício Lion Effort 2015, realizado a partir da Base Aérea de Caslav, na República Tcheca. Os quatro países utilizam no treinamento caças Gripen, operados também pela África do Sul e adquiridos recentemente pelo Brasil.
 
“É uma honra para a Força Aérea da República Tcheca sediar o Exercício Lion Effort este ano, que também marca dez anos de operação do Gripen na nossa Força”, disse o Brigadeiro Libor Štefánik, Comandante da Força Aérea daquele país. “Ter aliados da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e nações parceiras voando juntas é uma grande oportunidade”, completou.
 
O Lion Effort ocorre de três em três anos e reúne os países que operam caças Gripen. Em 2009, a primeira edição foi realizada na Hungria. Em 2012, foi a vez da Suécia. Já a África do Sul planeja sediar o exercício em 2018. 
 
Os caças suecos já foram utilizados em uma operação real em 2011, quando realizou 650 missões de combate durante as ações aéreas sobre a Líbia.
 
Até o próximo dia 24, as aeronaves vão realizar duas missões diárias. A Alemanha e a Polônia participam do exercício com seus caças Eurofighter e F-16, respetivamente. 
 
Gripen NG
 
Previstos para serem recebidos a partir de 2019, os 36 caças Gripen adquiridos pelo Brasil serão de uma versão superior as atualmente utilizadas no Exercício Lion Effort, batizadas de C e D. O Gripen NG brasileiro terá, entre outras melhorias, uma turbina mais potente e um radar mais avançado.
 
A SAAB planeja para 2016 a apresentação do protótipo do Gripen NG. Enquanto isso, uma aeronave de ensaio já realizou mais de 300 voos para testar sistemas da nova aeronave.
 
A participação brasileira no projeto será reforçada ainda este ano, com a ida de aproximadamente 100 engenheiros para atuarem nas atividades de desenvolvimento realizadas na Suécia. Das 36 aeronaves compradas pelo Brasil, treze serão fabricadas por suecos e outras oito sairão do trabalho de brasileiros na Suécia. As quinze últimas unidades serão inteiramente fabricadas no Brasil através de uma parceria com a Embraer. Até 2024, a FAB terá em seu acervo 28 unidades monoplace e oito biplace.
 
Com o contrato assinado em outubro de 2014, os caças Gripen NG já fazem parte de praticamente todos os planos da Força Aérea Brasileira (FAB). A Base Aérea de Anápolis, a 150 quilômetros de Brasília, já se prepara para receber todas as 36 unidades adquiridas até o momento. Enquanto isso, na Suécia, dois pilotos da FAB concluíram em abril o treinamento na versão C/D do caça Gripen, menos avançadas, porém já com conceitos semelhantes ao novo avião.
 
Fonte: FAB
 
 
Facebook Comments
Compartilhe